DINOVE COMUNICAÇÕES

SINSEMPA LANÇA NOTA DE REPÚDIO


A diretoria do SINSEMPA vem a público esclarecer que não tem qualquer participação e envolvimento com a denúncia contra a Sra. Joana Leandro, em veículo de comunicação, onde a ex-diretora deste Sindicato foi acusada de maus a idosos e deficientes, sendo inclusive detida pela Polícia Militar de Pernambuco. Ao mesmo tempo, repudia as declarações levianas e inconsequentes da Sra. Joana Leandro contra integrantes da Diretoria do SINSEMPA, eleita de forma expressiva, democrática e transparente pelos servidores municipais do Paulista.


Ressalte-se, ainda, que o presidente do SINSEMPA, Genivaldo Ribeiro (Pezão) pronunciou-se em programa de rádio, porque o nome do Sindicato foi citado pela ex-diretora que usou a emissora para apontar culpados pela denúncia. É deplorável!
Em reunião no dia 21/08/14, com a presença de diretores e funcionários, foi aprovada por unanimidade a proposta que considera a Sra. Joana Leandro “Persona non grata”, ou seja, pessoa que não é bem-vinda.Com isso, a mesma não será convidada, muito menos recebida, em eventos festivos, políticos e sindicais do SINSEMPA.

Rechaçamos sua conduta que visa caluniar, mentir e desqualificar o trabalho de pessoas comprometidas, com a luta sindical e sempre em defesa de melhores condições de trabalho, valorização e salários justos para o conjunto dos servidores da “Cidade das Chaminés”. As medidas judiciais para o caso já estão sendo tomadas.

                        A luta, o trabalho e o compromisso não podem parar! 
                              Temos muita coisa para fazer e nos preocupar.
                           Paulista, 21 de agosto de 2014
                  A DIRETORIA
LEIA MAIS »

Rodoviários farão nova paralização na manhã desta segunda


Em assembleia realizada na tarde deste domingo, os rodoviários de Pernambuco decidiram que farão mais uma paralização na manhã desta segunda-feira, das 4h às 8h da manhã. Eles também marcaram um ato de protesto para as 16h na Praça Oswaldo Cruz, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife.

A reunião ocorreu na sede do Sindicato Municipal dos Professores da Rede Oficial do Recife, no bairro de Santo Amaro. A categoria não aceita a redução do reajuste salarial em quatro pontos percentuais, imposta pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). No fim do mês passado, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) havia definido que o índice seria de 10%. Na última quarta-feira (20), o TST definiu que novo percentual ficaria em 6%.

A decisão provocou uma paralisação, na última sexta-feira (22), de parte da categoria, pegando de surpresa os dois milhões de passageiros que utilizam o sistema diariamente. Um ônibus da empresa Transcol chegou a ser incendiado na BR-101, perto do Terminal da Macaxeira. Na Presidente Kennedy, Olinda, uma barricada com pneus queimados bloqueou a via. O movimento também é considerado normal neste domingo.
LEIA MAIS »

Pedreiro morre ao cair de prédio em construção em Lagoa Real/BA


O trabalhador brasileiro se expõe a riscos de todo tipo e baixa remuneração. Assim, mais uma vítima foi registrada nas estatísticas de acidente fatais no ambiente de trabalho. Um pedreiro caiu de uma construção na cidade de Lagoa Real, sudoeste da Bahia, nesta quinta-feira (14). O trabalhador, conhecido como “Som”, retirava alguns pedaços de madeira na laje de um prédio em construção, e em determinado momento se desequilibrou e caiu de uma altura de três metros. Não resistindo às lesões, veio a óbito.

FONTE: Sudoeste Bahia
LEIA MAIS »

Sancionada lei que garante adicional a motoboys e mototaxistas

Renan comemora sanção de lei que garante adicional a motoboys e mototaxistas. Foto: Rocardo StuckertO presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comemorou a sanção nesta quarta-feira (18) do Projeto de Lei do Senado (PLS) 193/2003, que muda a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para incluir entre as atividades perigosas as desenvolvidas pelas categorias de mototaxista, motoboy e motofretista. De acordo com números do Sindicato dos Mensageiros, Motociclistas, Ciclistas e Mototaxistas de São Paulo (Sindimoto/SP), a categoria abrange cerca de 2 milhões de trabalhadores em todo o Brasil.
Com o reconhecimento da periculosidade, quem trabalha utilizando motocicleta passa a ter direito a um adicional de 30% sobre o salário. “Reconhecer o perigo dessa atividade é uma obrigação de todos nós. Como esse dinheiro a mais, os profissionais vão poder adquirir equipamentos mais seguros para conduzir suas motos”, afirmou o presidente Renan Calheiros.
O PLS 193/2003, que originou a nova lei, foi aprovado pelo Senado no dia 28 de maio. O presidente Renan Calheiros acompanhou a cerimônia de sanção, que aconteceu no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília.
FONTE: Senado.gov.br
LEIA MAIS »

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE CARROS E BICICLETAS DE SOM


LEIA MAIS »

Força Sindical-PE apoia correção da tabela do IR





:
O presidente da Força Sindical em Pernambuco, Aldo Amaral, afirmou que a correção da tabela  do Imposto de Renda em 4,5% a partir de 2015, está “dentro do esperado”. “Para começar, a promessa está dentro da expectativa”, afirmou; a declaração do sindicalista remete ao pronunciamento realizado por Dilma na noite desta quarta-feira (30), em função das comemorações do Dia do Trabalho.

PE 247
LEIA MAIS »

Mãe de candidato de oposição pode julgar contas de adversária do filho?

anaarraes
A nota publicada hoje por Ilimar Franco, em O Globo (e destacada por Paulo Henrique Amorim), dando conta de que Ana Arraes, ministra do TCU e mãe do candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, mora indevidamente há quase dois anos em apartamento do Senado, embora seja em si algo inconcebível – não são dois ou três meses, que poderiam se justificar por uma dificuldade de mudar para outro imóvel – traz à tona uma questão extremamente séria.
A mãe de um candidato a Presidente pode funcionar como fiscal e juíza das contas da adversária do seu próprio filho?
Se ao  ministro do Tribunal de Contas se aplicar, por analogia, o que a lei prevê para o juiz, é evidente que não.
O Artigo 134 do Código de Processo Civil diz que é defeso (proibido) ao magistrado atuar “quando nele estiver postulando, como advogado da parte, o seu cônjuge ou qualquer parente seu, consanguíneo ou afim, em linha reta; ou na linha colateral até o segundo grau”.
Pode-se argumentar que Eduardo Campos não é parte, embora seja interessado (e muito) em qualquer decisão que lhe permita agredir, politicamente, o governo Dilma.
Ainda que se possa aceitar este argumento, o artigo 135 vai mais além, dizendo que se deve declarar suspeito aquele que juga quando for “amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer das partes” ou “alguma das partes for credora ou devedora do juiz, de seu cônjuge ou de parentes destes, em linha reta ou na colateral até o terceiro grau”.
Ora, a interpretação literal da lei não exime o julgador de compreendê-la na extensão da vontade que a levou a ser editada.
É evidente que Eduardo Campos pode e, seguramente, vai tirar proveito eleitoral das decisões do TCU conduzidas ou formuladas por sua mãe.
O mínimo ético que se poderia esperar é que Ana Arraes  se licencia ou, ao menos, se declarasse impedida nos assuntos de maior repercussão.
Mas não é o que está acontecendo.
Ela está cuidando do “filé mignon” da oposição, a Petrobras.
Inclusive inovando, com a decisão inédita de inquirir, no próprio TCU, dirigentes da empresa pública.
Imaginem se fosse o contrário,  uma tia de Dilma Rousseff  julgando os processos de contas da Petrobras?
Pior, Ana Arruda será a relatora das contas da própria Presidenta da República, a menos que se declare impedida.
Não é preciso dizer mais, não é?
Mas não precisa haver ética ou moralidade em quem faz oposição.
A mãe, tal como o filho, pode seguir o caminho de quem tudo recebe de um Governo e, no dia seguinte, se volta contra ele.
Viva a nova política!
LEIA MAIS »

OIT alerta o Brasil sobre doenças ocupacionais


A Organização Internacional do Trabalho (OIT) preparou, em ocasião do Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, um relatório sobre  “A prevenção de doenças ocupacionais” que descreve a situação atual das doenças e acidentes relacionados ao trabalho no mundo e apresenta propostas da organização para o problema. O relatório da OIT alerta que já são cerca de dois milhões de pessoas morrendo a cada ano, ao redor do mundo, em decorrência de acidentes ou doenças ocupacionais.
Segundo a OIT, as doenças profissionais causam um número de mortes seis vezes maior do que os acidentes laborais. Das 2,34 milhões de mortes anuais, a grande maioria, cerca de 2,02 milhões, são causadas por doenças ocupacionais. Os dados revelam uma média diária de 5.500 mortes. A estimativa da OIT é que a cada ano ocorrem 160 milhões de casos não fatais de doenças relacionadas ao trabalho.
Para a organização mundial, as doenças profissionais representam um enorme custo, tanto para os empregadores, trabalhadores, suas famílias e para o desenvolvimento econômico e social do país. A OIT estima que os acidentes e doenças resultam em uma perda de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, ou cerca de 2,8 trilhões de dólares, em custos diretos e indiretos por lesões e doenças.
 Visualize o relatório da OIT Brasil abaixo poderá fazer download.
LEIA MAIS »

INFORMATIVO SINSEMPA



Funcionários da Prefeitura do Paulista fazem paralisação de 24 horas , amanhã (14), com assembleia às 8h, em frente ao prédio da Prefeitura. Eles rejeitam a proposta apresentada pelo governo municipal, que concede um percentual de 3,5% como aumento  nos salários, 
LEIA MAIS »

MPT proíbe empresa de controlar ida de funcionários ao banheiro na Bahia

Justiça determinou também outras medidas contra assédio moral.
Empresa de telemarketing emprega cerca de 7 mil funcionários no estado.


Uma das maiores empresas de telemarketing da Bahia está proibida de controlar a ida dos empregados ao banheiro. A decisão da Justiça do Trabalho de Feira de Santana determina ainda outras medidas contra o assédio moral, constrangimento e ameaças.
A ação foi movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que apresentou uma lista de obrigações trabalhistas que estariam sendo descumpridas, incluindo normas de saúde e segurança.
“Atraso salarial, proteção à intimidade, restrição das idas ao banheiro, descontos salariais indevidos, não fornecimento de equipamentos de trabalho, uma série de denúncias das mais variadas. São 50 pedidos na nossa ação”, disse o procurador de Justiça, Maurício Brito.
A decisão judicial determina que a empresa cumpra 16 obrigações trabalhistas. A companhia não poderá, por exemplo, convocar os empregados que estiverem no banheiro ou adverti-los quando considerar que supostamente eles levaram muito tempo no local. Proíbe também ações que causem dano moral.
A empresa, uma das maiores empregadoras do estado, tem duas unidades em Salvador e duas em Feira de Santana e tem sete mil funcionários. Desde 2010 até este ano, o MPT já recebeu 100 denúncias.
Uma operadora de telemarketing, que preferiu não se identificar, contou sobre as condições de trabalho. “Para ir ao banheiro, eu tenho uma pausa de cinco minutos. Se estourar [esse tempo], a gente toma advertência”, revela.
Uma outra funcionária disse que a empresa de não cumpre as leis trabalhistas. Ronailda Falcão relatou que um dia precisou faltar ao trabalho porque estava doente e levou para a empresa o atestado de comparecimento, mas eles não aceitaram o documento. “Qualquer posto de saúde dá atestado de comparecimento. Eles não aceitam. Então eu já recebi uma suspensão”, concluiu a operadora de telemarketing.
A empresa de telemarketing em Feira de Santana não se pronunciou a respeito da decisão judicial.
Link do video (reportagem): http://g1.globo.com/bahia/noticia/2014/04/mpt-proibe-empresa-de-controlar-ida-de-funcionarios-ao-banheiro-na-bahia.html
FONTE: G1-Bahia
LEIA MAIS »
Publicidade